12/06/2018 17h35 - Atualizado em 12/06/2018 17h36

V Conferência Nacional Infantojuvenil pelo Meio Ambiente

Com o objetivo de fortalecer a educação ambiental nos sistemas de ensino e incentivar uma atitude responsável e comprometida com o meio ambiente, começou nessa segunda-feira (11) no Hotel Praia Sol, localizado em Nova Almeida, a etapa estadual da “V Conferência Nacional Infantojuvenil pelo Meio Ambiente”. O evento segue até quinta-feira (14).

A Conferência é composta por três etapas. A primeira é a escolar, que acontece em cada uma das escolas participantes, e um projeto é escolhido para ser apresentado na segunda etapa, que é a estadual. Essa fase será integrada por 44 jovens delegados e delegadas, de 11 a 14 anos, eleitos previamente nas conferências escolares de Norte a Sul do Estado do Espírito Santo.

Na Conferência Estadual, esses jovens irão aprofundar a temática, socializar os projetos, participar de oficinas e eleger os delegados a serem encaminhados para a Conferência Nacional. Na etapa estadual estão participam o educando eleito da escola e o professor que orientou o projeto ou outro representante da comunidade escolar.

A Conferência Nacional, por sua vez, é o encontro de todas as delegações do Brasil, composta por 15 jovens de cada Estado, e acontecerá nos dias 15 a 19 de junho no Estado de São Paulo. Nela, os estudantes realizaram oficinas, atividades culturais e discussões sobre o tema “Água”, tudo a partir dos projetos de ação selecionados nas etapas Estaduais. A etapa Nacional será composta apenas pelos estudantes eleitos. O evento é todo custeado pelo Ministério da Educação (MEC).

Wanderley Lopes, coordenador do evento no Espírito Santo e integrante da Assessoria de Apoio Curricular e Educação ambiental, falou sobre a importância do evento. “A Conferência Nacional Infantojuvenil Pelo Meio Ambiente atrai o protagonismo juvenil, já que o seu processo ocorre de forma democrática, respeitando o princípio ‘Jovem educa jovem, jovem escolhe jovem, uma geração aprende com a outra’. A relevância desse evento está relacionada com o fortalecimento das práticas da Educação Ambiental e a educação para as diversidades nos sistemas de ensino. Além disso, ele contribui para a interação entre a comunidade escolar e o seu entorno e facilita a aproximação entre os participantes de vários municípios, que trazem consigo as suas peculiaridades, permitindo um rico momento de trocas e de conhecimentos”, ressaltou.

Projetos Apresentados

Na Escola Estadual de Joassuba Senhor Antônio Patrício de Fontoura, localizada no município de Ecoporanga, a estudante Sara Cerqueira de Oliveira, do 9º ano do Ensino Fundamental, foi uma das escolhidas para apresentar seu projeto na conferência em Nova Almeida. Em seu projeto, ela pensou soluções para reutilização da água do bebedouro e captação de água da chuva. A educanda será acompanhada na Conferência Estadual pela diretora Miriam Celeste Fritz Fonseca.

A diretora Mirian Celeste falou sobre a importância do projeto da estudante para os problemas ambientais que são vivenciados no município. “Estou muito feliz, pois a escolha desse projeto para a Conferência Estadual nos motivou ainda mais em executar a ideia obtida na Conferência da Escola. O Projeto: ‘Água, cuidar para ter’, veio em um momento propício, pois nossa comunidade já sofreu com escassez de água, ficando até mesmo sem água para beber, tendo que ser abastecida por carro-pipa. Diante dessa experiência, surgiu a ideia de reaproveitar a água descartada dos bebedouros para a limpeza da escola. Também serão instaladas bombas para captação e armazenamento da água da chuva. Estamos buscando parcerias para a execução.”, disse.

A estudante Sara Cerqueira, aluna do 9° ano do Ensino Fundamental, falou sobre seu projeto e as expectativas para a conferência. “Minha escola foi uma das escolhidas para participar da Conferência. O meu principal objetivo na apresentação desse projeto é alertar as pessoas sobre o desperdício de água e também procurar maneiras de diminuí-lo, para que isso não afete as nossas próximas gerações. O que me motiva mais ainda na apresentação desse projeto é saber que se tivermos a oportunidade de tirá-lo do papel, estaremos auxiliando tanto a escola em questões de economia e desperdício, como também a comunidade”, falou.

Informações à Imprensa:
Assessoria de Comunicação / SEDU
Vivian Camargo / Flávia Zambrone / Gustavo Pereira
Texto: Keila Barcellos

2015 / Desenvolvido pelo PRODEST utilizando o software livre Orchard