12/04/2019 17h22 - Atualizado em 12/04/2019 17h32

Professores se preparam para a Olimpíada de Língua Portuguesa

Os professores interessados têm até o dia 30 de abril para fazerem a inscrição.

A fim de preparar os professores para a 6ª edição da “Olimpíada de Língua Portuguesa (OLP) - Escrevendo o Futuro”, as Superintendências Regionais de Educação (SRE) se organizam para ofertar oficinas aos educadores. O objetivo é repassar o conhecimento adquirido para os alunos em sala de aula.

O primeiro encontro aconteceu na Escola Estadual Rômulo Castello, na Serra, nesta quinta-feira (11). O gênero estudado foi a Crônica, e teve como responsáveis o Supervisor Escolar Ronald da Silva Alves e a professora Carolinne Quintanilha. Já estão previstos mais três encontros para trabalhar os demais gêneros, que são: Poema, Memórias Literárias, Documentário e Artigo de Opinião.

A Coordenadora Estadual da Olimpíada de Língua Portuguesa, Silvana Medeiros, comentou sobre a iniciativa. “As oficinas da Olimpíada de Língua Portuguesa trazem para o grupo uma reflexão sobre importância do trabalho com a leitura e escrita na escola a partir dos gêneros textuais do concurso, promovendo um debate sobre o ensino da língua materna, sobretudo, destacando que mais que um concurso de textos, a OLP é uma proposta de ensino de Língua Portuguesa na produção escrita, um paradigma para o ensino da produção textual”, disse.

Inscrições

Os professores interessados têm até o dia 30 de abril para fazerem a inscrição. Podem participar professores que estejam lecionando para alunos de escolas da rede pública matriculados nos 5º, 6º, 7º, 8º e 9º anos do Ensino Fundamental e 1ª, 2ª e 3ª séries do Ensino Médio. O endereço para inscrição é https://www.escrevendoofuturo.org.br/. Todas as informações para saber como participar, podem ser conferidas no Regulamento da Olimpíada de Língua Portuguesa – CLIQUE AQUI! (https://sedu.es.gov.br/Media/sedu/pdf%20e%20Arquivos/regulamento-olimpiada-de-lingua-portuguesa.pdf)

Novidades

Nesta edição a Olimpíada passa a homenagear uma personalidade que atue em consonância com as diretrizes do trabalho que realiza. E a primeira homenageada é a escritora Conceição Evaristo. Outro destaque é para a inclusão de um novo gênero: o Documentário.

Além de Documentário, a Olimpíada traz os gêneros Poema, Memórias literárias, Crônica e Artigo de Opinião. A partir desses gêneros, o professor deverá orientar seus alunos a escrever, em sala de aula, durante as oficinas, um texto sobre o tema “O lugar onde vivo”.

Para auxiliar nas oficinas, os professores terão acesso ao porta lhttps://www.escrevendoofuturo.org.br/ , que consiste em cadernos virtuais de apoio ao trabalho do professor. Para chegar à final, os participantes terão que passar por quatro etapas, que são: etapa escolar (na própria unidade de ensino), etapa municipal, etapa estadual, etapa regional e, por fim, a etapa nacional.

Na premiação da etapa nacional, além da medalha, o professor ganhará uma semana de imersão pedagógica internacional, outra novidade desta edição. Todas as premiações e demais informações podem ser conferidas no regulamento disponível no site.

A Olimpíada

Com o objetivo de contribuir para a melhoria do ensino e aprendizagem da leitura e escrita nas escolas públicas de todo País, por meio de ações de mobilização para a formação de professores de Língua Portuguesa, o Itaú Social criou em 2002, sob a coordenação técnica do Centro de Estudos e Pesquisas em Educação, Cultura e Ação Comunitária, o Programa Escrevendo o Futuro (Cenpec), voltado para ações de formação presencial e a distância. O programa disponibiliza materiais com orientações pedagógicas e promoção da reflexão sobre práticas educativas.

Em 2008, o programa foi ampliado a partir de uma parceria com o Ministério da Educação para a criação da Olimpíada de Língua Portuguesa Escrevendo o Futuro, um concurso de produção de textos entre alunos do 5º ao 9º ano do Ensino Fundamental e da 1ª a 3ª série do Ensino Médio.

Nesta edição, a Olimpíada reforça a valorização da interação de crianças e jovens com seu território, e retoma o tema “O lugar onde vivo”. Assim, para participar do concurso, o estudante deve resgatar histórias, estreitar vínculos com a comunidade e aprofundar o conhecimento sobre a realidade, o que contribui para o desenvolvimento de sua cidadania.

Texto: Soraia Camata

 

Informações à Imprensa:

Assessoria de Comunicação Secretaria de Estado da Educação

Mirela Marcarini / Geiza Ardiçon/ Soraia Camata

mmczanotelli@sedu.es.gov.br / gardicon@sedu.es.gov.br/ecsrocha@sedu.es.gov.br/ sccanal@sedu.es.gov.br

3636-7705 / 7706 / 7707

 

 

2015 / Desenvolvido pelo PRODEST utilizando o software livre Orchard